Costa Marques e país vizinho: terras riquíssimas e um futuro promissor - Giro Central
 

Costa Marques e país vizinho: terras riquíssimas e um futuro promissor

por: Ronan Almeida Turismo
costa-marques-e-pais-vizinho-terras-riquissimas-e-um-futuro-promissor-
Pr-do-sol-Rio Guapor Costa Marques/ RO. Foto: prof. Lilian Lemos

O município de Costa Marques está localizado na fronteira do Brasil com a Bolívia, no estado de RO. Possui um belo, caudaloso e riquíssimo rio denominado Guaporé. Na época das cheias, as águas do Rio Guaporé transbordam e inundam as áreas mais baixas com suas águas turvas devido aos sedimentos transportados pelas águas. Em alguns pontos, a água escoa por mais ou menos 2 km, permanecendo assim por mais ou menos dois meses até diminuírem as chuvas. Por esse motivo, as terras às margens do rio são consideradas riquíssimas, uma vez que os sedimentos trazidos pelas cheias se transformam em material orgânico e adubam a terra. Por isso, tudo o que se planta produz sem a necessidade de fertilizantes e nenhum tipo de produtos químicos.

 

Um casal de moradores do município, a professora Lilian e o médico, o Dr Valdir, que possuem terras às margens do rio puderam comprovar para todos a riqueza que temos aqui. Eles plantaram vários tipos de frutas e legumes em sua propriedade e a produção foi fantástica. Tudo, sem a utilização de nenhum tipo de adubo. Conseguiram produzir frutas, tais como melões,  melancias, bananas,  abiú,  acerola e legumes enormes e de ótima qualidade. Vimos a alegria estampada em seus rostos por terem a oportunidade de plantar e colher produtos tão lindos e saudáveis! O espaço que eles utilizaram é pequeno, mas a produção superou as expectativas. Eles puderam distribuir seus produtos para várias pessoas da cidade e disseram que estão felizes por verem o quanto as terras de nosso município são ricas! Se todos plantarem em seus terrenos, mesmo que em espaços pequenos, poderemos ter os melhores produtos produzidos por nós mesmos, disseram.

 

Em nosso município a predominância no campo é a atividade da pecuária e da produção de leiteira, mas  há muitas terras aptas à produção agrícola, porém pouco utilizadas. Para se ter um exemplo, quem passa pela BR 429, logo na saída de Costa Marques, pode admirar uma linda plantação de milho no pé da Serra no km 02, cujo proprietário, o Sr Elias,  vimos preparando a terra e depois fazendo a limpeza da lavoura que ainda não tem nem 3 meses e já está enorme e com lindas espigas iniciando o processo de granulação.

 

Precisamos acreditar no potencial produtivo de nossas terras e implantar em nossa cultura a ideia de que podemos produzir e ter um município quase que totalmente independente da produção de outras regiões. Outro exemplo, são os produtos que os feirantes estão vendendo na feirinha da cidade toda sexta-feira. Cada dia está melhor e com mais produtos à venda. Temos notícia de que a plantação de café, milho, colorau e banana  está ganhando forças em nosso município.

 

Um fator importante está cada vez mais próximo, o que antes parecia apenas um sonho distante para os costamarquenses já começa a despontar como algo próximo: a saída daqui para o pacífico. O governo do estado já publicou no diário oficial a construção do asfalto para a Rodovia Mário Nonato 478, que é a estrada que interliga Costa Marques ao Forte Príncipe da Beira. Além disso, o edital para a construção da balsa que vai interligar os dois países Brasil/ Bolívia já está previsto para breve. A previsão é para que em no máximo 3 anos a balsa já esteja em funcionamento e o tráfego entre os dois países seja realidade. Com a saída para o pacífico pela Bolívia, nossa cidade ganhará uma grande importância, pois será o ponto inserção entre os dois países. A partir da realização desse feito, não só nossa cidade será beneficiada, mas também o Forte Príncipe da Beira, o Distrito de São Domingos do Guaporé, todos os municípios da BR 429 e o Estado de RO.

 

Outro ponto importante, é que no país vizinho, as terras também possuem características parecidas com as de Costa Marques. Essa é a região chamada Beni, que é um departamento(Estado) boliviano, cuja capital é a cidade de Trinidad. Nessa região há vários municípios, mas ainda pouco povoados devido ao difícil acesso que existia na região. Entretanto, a alguns anos o governo boliviano tem investido nas estradas nessa região e temos visto uma grande melhoria, pois as estradas estão bem cuidadas.

 

Com a saída para o pacífico, com certeza aumentará a população nessa região, onde vemos um futuro promissor. As cidades às margens da estrada que interliga o interior da BO ao centro do país foram colonizadas pelos espanhóis que construíram belas praças, casas em estilo coloniais e igrejas monumentais que impressionam à vista. Tudo muito bem conservado guardando o estilo original.

 

Tenho certeza de que depois da construção da balsa e da liberação da passagem para a Bolívia, o turismo aumentará tanto em nosso município como nos municípios vizinhos ao longo da BR 429, e também nos municípios fronteiriços tais como San Joaquim, San Ramon, Trinidad e Magdalena, pois possuem paisagens lindíssimas, com muita água, lindas plantas aquáticas como as vitórias-régias que podem ser vistas quando passamos pela estrada, lindos pássaros aquáticos como os enormes e coloridos tuiuús, capivaras e linda vegetação  que são pouco conhecidas ainda na região. Lembrando que os animais e plantas citadas, tais como no Brasil, são protegidos por leis ambientais no Estado do Beni/BO.

 

Enfim, o que quero dizer é que vislumbramos um futuro promissor tanto para nossa região como para nossos vizinhos, pois aumentando a demanda pelo turismo, aumentará a demanda por alimentos e infraestrutura e nós temos potencial. Ainda há a notícia de que os Chineses têm intenções de fazer investimentos nessa região fronteiriça.

 

Precisamos implantar a cultura de que temos ótimas terras e que podemos ser um município ainda mais produtivo. Nós podemos e queremos. Precisamos ir à luta. O futuro promissor está cada vez mais próximo. Para isso precisamos acreditar que dentro de poucos anos tudo isso seja não só um sonho, mas algo real que trará mais desenvolvimento à nossa região.

 

Por: Cleonice Miranda M. Rodrigues- professora de letras/ portugus- SEDUC-Costa Marques/ RO. Para o site Folha do Vale - 1 de janeiro de 2018