Vereador que votou contra o professor não concordou pelo corte da gratificação dos servidores da saúde em Costa Marques - Giro Central

Vereador que votou contra o professor não concordou pelo corte da gratificação dos servidores da saúde em Costa Marques

por: Ronan Almeida Politica
hvKyDhX03tDO
Vereador Mohamed Adib Neto

O vereador Mohamed Adib Neto, eleito com 293 votos pelo PV em 2016 no município de Costa Marques, não concordou pelo corte de gratificação dos servidores da saúde ocorrido em 2017 por determinação do prefeito Mirandão. Lotado no hospital municipal como fisioterapeuta, Mohamed Adib Neto é de longe o pior parlamentar no município. Votou contra o corte da gratificação dos professores em sessão tensa da última sexta-feira. Antes, havia previsão de que ele votaria contra o projeto de lei complementar, porém mudou de opinião e resolveu dar apoio ao prefeito Mirandão e graça o seu voto, o projeto de lei complementar foi aprovado. De agora em diante, Mohamed e o prefeito serão considerados inimigos da educação, dos professores, do ensino, dos pais dos alunos e de toda comunidade acadêmica. 


Mexer com a classe dos professores é como cutucar a onça com vara curta. Os professores trabalham com centenas de alunos diariamente e sempre os estudantes fazem perguntas voltadas à forma como a prefeitura vem se relacionando com a categoria, sobre seus salários, dificuldades, falta de apoio da administração, carga excessiva de serviço, escolas com estrutura antiga, entre tantos assuntos que são corriqueiros na vida do professor com a comunidade escolar.


Os professores são uma das categorias mais organizadas em Rondônia. São filiados ao Sintero, que é o Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Rondônia, e membro da CUT (Central Única dos Trabalhadores), duas entidades de grandes lutas e mobilizações por melhores condições de trabalho e de salário no setor educacional em todos os 52 municípios rondonienses. A briga que Mirandão começou com a classe dos professores será daqui pra frente um “inferno” na vida do prefeito e dos vereadores que foram a favor de cortar a gratificação dos mestres que prometem lutar até o fim para restabelecê-lo. Foi um erro do prefeito e da maioria dos vereadores em agir contra o ensino e a categoria nunca vai esquecer essa traição à classe. O professor consciente não tem memória curta. É politizado e organizado. Eles não têm salário dignino. Mas têm força para lutar e resistir contra os tiranos que governam sem dialogar com a sociedade. Mirandão precisa explicar para a população porque se recusa a fazer reuniões com os servidores da Prefeitura de Costa Marques antes de tomar medidas que tirem direitos dos funcionários públicos municipais.

Texto: Ronan Almeida de Araújo é proprietário do site Giro Central e jornalista registrado no Ministério do Trabalho sob o número 431-98-RO.