SEAS realizou em Porto Velho a quarta conferência da igualdade racial

por: Ronan Almeida Noticias
seas-realizou-em-porto-velho-a-quarta-conferencia-da-igualdade-racial

Nos dias 28, 29 e 30 de novembro, a SEAS realizou a quarta conferência sobre a igualdade racial. O evento ocorreu no Rondon Palace Hotel na cidade de Porto Velho. Participaram da conferência quilombolas, indígenas, povos ciganos de matriz africana e povos de terreiros. A coordenadora geral do evento foi a senhora Elsie Shochness. Muitos convidados abrilhantaram o encontro e trocaram muitas experiências sobre a luta de cada grupo social. Também abordaram sobre a intolerância e o preconceito que algumas pessoas insistem em praticar contra a forma diferente vivida pelos movimentos sociais presentes no Brasil.

 

Em um momento de debate acalorado à sucessão de Temer em 2018, não podemos deixar de aproveitar o assunto desta matéria que trata sobre igualdade racial para reprovar os ataques que o pré-candidato à presidência da República, deputado federal Jair Bolsonaro fez de cunho racista contra negros durante palestra no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro. Ele também disparou contra indígenas, mulheres, homossexuais, refugiados e usou a deficiência física do ex-presidente Lula para chamá-lo de “energúmeno”. Com a presença de 300 pessoas no encontro, Jair Bolsonaro afirmou que, se for eleito, pretende acabar com todas as reservas de terra de indígenas e quilombolas (descendentes de escravos que vivem em quilombos). “Eu fui num quilombo. O afro descendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles”, discursou. Disse ainda: “Se eu chegar lá (na presidência), não vai ter dinheiro pra ONG. Esses vagabundos vão ter que trabalhar. Pode ter certeza que se eu chegar lá, no que depender de mim, todo mundo terá uma arma de fogo em casa, não vai ter um centímetro demarcado para reserva indígena ou para quilombola.”

 

A redação do nosso site Girocentral parabeniza os organizadores do encontro promovido pela SEAS ocorrido no final do mês passado em Porto Velho e que evento desta magnitude precisa ser realizado sempre em favor da igualdade racial. É lamentável como pode ainda prevalecer em nossa sociedade o ódio praticado por um parlamentar como Jair Bolsonaro contrário aos avanços e conquistas dos grupos sociais, como os negros, os índios, os gays, os quilombolas, os ciganos, os refugiados e tantos outros que merecem respeito e tolerância não só da classe política mas de toda a população que deve ser unir na construção de um Brasil mais igualitário e que valorize as diferenças de gêneros.

 

Texto: Ronan Almeida de Araújo é proprietário do site Girocentral e jornalista registrado sob o número 431/98/RO

Confira as fotos